Vereadores Pichek, Zivan e Romeu participaram da homenagem póstuma às vítimas da explosão do Quartel da PMRO em Cacoal

por Claudinei Sorce publicado 04/02/2022 08h05, última modificação 04/02/2022 08h05

 

 

Nesta quinta-feira (03) completam-se quarenta anos de uma das mais impactantes tragédias registradas na história de Cacoal, e da Polícia Militar do estado de Rondônia, onde 11 homens sendo 10 militares e 01 civil que perderam suas vidas na explosão do quartel da PM em Cacoal, no dia 03 de fevereiro de 1982.

 

Estavam presentes na solenidade diversas autoridades e representantes da sociedade civil:  Vereador presidente da Câmara de Cacoal, João Paulo Pichek (Republicanos); Romeu Moreira (DEM) e Zivan Almeida (PSC); 

 

O comandante geral da PMRO, coronel James Alves Padilha, acompanhado do comandante regional de policiamento III, coronel Paulo André de Souza e do comandante do 4º batalhão, major João Carlos Rodrigues Matos.

 

A tragédia que ainda hoje é lembrada por muitos que vivenciaram esse momento da história de Cacoal, e principalmente, pelos policiais militares, jamais será esquecida.

 

Na época da tragédia, o quartel da polícia militar em Cacoal, estocava dinamites que a prefeitura municipal utilizava para explodir pedras, que eram utilizadas na pavimentação das ruas e avenidas da cidade. 

 

De acordo com relatos e com as investigações da época, a explosão teria ocorrido em consequência da combustão espontânea dos explosivos de dinamite, essa explosão foi grande, assustadora e devastadora, causando a destruição de toda a estrutura física do quartel, e, infelizmente, ceifando a vida de 10 policiais militares e um civil.

 

O comandante do 4º batalhão de polícia militar, major Matos, juntamente com outras autoridades de Cacoal entregaram aos familiares e amigos, uma placa de homenagem in memorian aos policiais militares que perderam suas vidas na explosão do quartel.